Na tarde de 17/10, Webinar conduzido pelo diretor do PMIef no PMIRS, Fernando Bartelle, oportunizou uma conversa com Walter Ginevri, recentemente apontado como PMI Fellow e integrante do comitê de engajamento do braço filantrópico do PMI. Liderado por um grupo de voluntários, o PMIef cria links permanentes com os capítulos ao redor do mundo. Entre os objetivos está o de engajar líderes e voluntários em projetos e iniciativas que contribuam com a missão de inspirar e dar poder às pessoas para transformar suas vidas através dos conceitos e habilidades do gerenciamento de projetos aplicados no dia a dia. 
 
Ginevri falou sobre os três pilares do PMIef que norteiam um trabalho que começou em 1990 e pretende atingir os 7 bilhões de pessoas que habitam o planeta terra com o mesmo propósito que o PMI tem ao envolver a comunidade de gerentes de projetos: levar os benefícios do gerenciamento de projetos para o mundo. O primeiro pilar é levar aos jovens, através das escolas, os conhecimentos do gerenciamento de projetos. O segundo é fazer com que organizações sem fins lucrativos usem o gerenciamento de projetos para executar da melhor forma seus projetos. O terceiro é constituir uma força de trabalho voluntária para fazer isso acontecer. 
 
Apoiado nessas três bases, o objetivo de longo prazo do PMIef é construir uma ponte entre o gerenciamento de projetos e a educação, tendo de um lado os profissionais da área e de outro os professores e os alunos do ensino primário e secundário. Para chegar lá, Walter Ginevri apresentou conceitos chaves que são necessários entender o trabalho do PMIef, além de uma metodologia para desenvolver nas escolas, com exemplos concretos já aplicados. 
 
O primeiro conceito que deve ficar claro é que o gerenciamento de projetos não deve se restringir aos campos de negócios, mas deve ser encarado como um conjunto de conhecimentos que podem ser levados como habilidades para a vida. No caso da educação, por exemplo, pode ser um aliado na execução de uma corrente que tem sido utilizada internacionalmente, a dos 4Cs. São quatro conhecimentos fundamentais que devem ser desenvolvidos nos estudantes: criatividade, pensamento crítico, comunicação e colaboração. Segundo Ginevri, é possível demonstrar que o gerenciamento de projetos é uma habilidade para a vida porque conseguimos colaborar para desenvolver os 4Cs. Argumenta que o ambiente de projetos estimula todas essas possibilidades de atuação.
 
O segundo conceito é que o gerenciamento de projetos possa servir de ferramenta para melhorar e tornar mais eficiente o ensino de disciplinas. E o terceiro conceito é que o gerenciamento de projetos é uma linguagem universal. Projetos executados pelo PMIef comprovam essa universalidade, mostrando que ele pode ser compreensível a diferentes culturas. 
 
Diante dessas premissas, Walter Ginevri ressaltou como o PMIef acredita que é possível construir uma ponte entre a educação e o gerenciamento de projetos: adotando uma linguagem comum entre as duas áreas; tendo, de um lado, voluntários habilitados e disponíveis para dedicar seu tempo e, de outro, professores de mente aberta e apaixonados; dando suporte a pessoas e instituições que possam dar visibilidade a esta causa; e possibilitando a comunicação e colaboração entre essas pessoas da sociedade, educadores e a comunidade de gerenciamento de projetos.
 
Mais informações sobre esse trabalho e a metodologia desenvolvida pelo PMIef para sua aplicação estão disponíveis no site http://pmief.org/.No Rio Grande do Sul, o diretor Fernando Bartelle é a ponte com o instituto através do email pmief@pmirs.org.br
18 de outubro de 2016