O Projeto Ação Social surgiu em 2018, a partir da análise estrutural de algumas organizações não-governamentais, onde se percebeu aspectos em comum, como a dificuldade de identificar e planejar a resolução de seus problemas originado da falta de aplicabilidade prática em gestão de projetos.

Com isso, identificou-se a oportunidade de atuar junto dessas organizações, através de um Workshop realizado pela equipe de voluntários do PMIRS, onde o objetivo geral é disseminar as melhores práticas de gerenciamento de projetos com a aplicação de 4 ferramentas auxiliares, que são elas: Brainstorming; Diagrama de Ishikawa; Matriz de Esforço x Impacto e Plano Ação 5W2H, proporcionando assim, que elas tenham visibilidade da causa raiz de seus problemas e desenvolvam um plano de ação mais assertivo.

No entanto, após o segundo Workshop realizado em 2019, foi constatado que mesmo com plano de ação estruturado as organizações ainda permaneciam com dificuldades de executar as atividades dispostas, e assim, entendemos que podíamos fazer ainda mais.

O Projeto Ação Social renasceu, em 2020, com um propósito muito inspirador de emancipar essas organizações, através da aprendizagem vivencial das melhores práticas em gerenciamento de projetos com o objetivo de complementar a abordagem utilizada no Workshop, a partir de um atendimento online que pode durar até 5 meses.

Segundo a Gerente de Projetos voluntária na época, Caroline Raupp, a ação social proporcionou mais autonomia, autogestão e pensamento crítico dentre as organizações, além de criar procedimentos mais claros e organizados, fomentando assim a melhoria contínua e a ampliação de novos projetos na organização.

Os atendimentos em 2020 foram para as seguintes organizações: ONG Renascer da Esperança, situada no bairro Restinga em Porto Alegre/RS e Centro Social Madre Assunta Marchetti do bairro Olaria em Canoas/RS. Contamos com o apoio dos voluntários analista de projetos: Aline Sathler; Eduardo Paiva; Éllen Giacchin e Gabriela Baldin; Mariana Sartori.

Ao beneficiar uma organização não-governamental, estamos impactando toda a cadeia de pessoas que são atendidas por elas, fomentando assim uma sociedade mais justa, solidária e igualitária.