Iniciei minha experiência de voluntariado no PMIRS como instrutor do curso preparatório para as certificações CAPM e PMP. Logo após, passei a trabalhar com ações de Bem Social, na Diretoria de Projetos Sociais e alinhado às diretrizes do PMIEF (Fundação Educacional do PMI).

É um trabalho muito interessante, focado em como o Gerenciamento de Projetos pode servir à sociedade de uma forma ampla, baseado em três pilares principais: o investimento em profissionais de projetos (bolsas, premiações, cursos), o auxílio a ONGs (ajudar na gestão para fortalecer os projetos) e o foco na juventude (levar gestão de projetos às escolas de nível fundamental e médio, para preparar melhor as pessoas e formar profissionais completos para o mundo do trabalho).

Esse terceiro pilar sempre me motivou de forma especial. Investir na juventude garante combustível para os outros dois, ao mesmo tempo que entrega à sociedade jovens com mais uma “ferramenta na sua caixa”.

Fizemos vários programas para levar o gerenciamento de projetos aos jovens. Construímos parcerias com outras instituições que já trabalhavam para esse fim, unindo esforços e multiplicando resultados. Fomos a escolas falar para os jovens e para os educadores. Fizemos dinâmicas e trabalhos em grupo. Aprendemos bastante com eles, enquanto buscávamos ajudá-los a construir novos conhecimentos.

Durante um desses trabalhos em parceria, uma jovem me procurou com a seguinte pergunta: “O PMI tem um grupo jovem? Eu teria interesse em participar.” A Aline tinha dezesseis anos, estava terminando o Ensino Médio e já tinha ouvido falar da organização. Mas não tinha ideia de que o que “se falava” aqui podia ser aplicado em tantos cenários. Ela me contou que conversou com familiares, que tampouco imaginavam que o PMI trabalhava com jovens. Todo esse cenário fez brotar uma ideia.

O PMIRS tem, entre seus objetivos estratégicos, avançar a gestão de projetos no Rio Grande do Sul, prover conhecimento, ferramentas e mentoring para a prática de gerenciamento de projetos, e garantir a continuidade do PMI-RS através do desenvolvimento de novas lideranças e oportunidades de sucessão. Trazer jovens para dentro do PMI-RS, de forma sistematizada e planejada, é a verdadeira relação ganha-ganha. Os jovens cada vez mais se interessam por projetos e, no PMI, há oportunidades diversas para aprender sobre eles na prática. Os jovens precisam de experiência, o PMI tem oportunidades de voluntariado.

A partir da ideia da Aline, jovens como o Arthur, o Igor e a Priscila foram garimpados nos programas desenvolvidos pela Diretoria de Projetos Sociais do PMI-RS, e hoje estão no Núcleo Jovem do capítulo. Eles têm trabalhado em vários projetos, trazendo ideias novas, linguagem adequada às novas gerações e experiências de suas áreas de estudo, entre outras coisas muito legais. 

Entre os projetos nos quais eles estão envolvidos, está a montagem do próprio Núcleo. Liderados pelo Bruno Conte, nosso voluntário ligeiramente mais velho que eles, mas já dono de uma experiência notável, os jovens se estruturaram, se reúnem periodicamente, e podem colaborar com projetos como o Congresso Brasileiro de Gestão, Projetos e Liderança, que será sediado em Porto Alegre, em junho próximo.

Dar aos jovens oportunidades ao passo que aprendemos com eles mostrou-se uma estratégia interessantíssima para investir no futuro do gerenciamento de projetos e na sustentabilidade do PMI-RS. 

Autor: Fernando Bartelle

02 de maio de 2018