RSS PMI-RS Notícias de PMI-RS Mon, 26 Jul 2021 19:07:20 -0300 Mon, 26 Jul 2021 19:07:20 -0300 Zend_Feed_Writer 1.12.21dev (http://framework.zend.com) https://pmirs.org.br/rss Branches: as filiais que disseminam o PMIRS pelo Rio Grande Tue, 20 Jul 2021 11:00:19 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/593/?branches-as-filiais-que-disseminam-o-pmirs-pelo-rio-grande.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/593/?branches-as-filiais-que-disseminam-o-pmirs-pelo-rio-grande.html Os Branches são as ramificações do PMIRS que levam o Capítulo aos mais distantes recantos de nosso estado. A missão dessas “filiais” é reproduzir em escala as atividades propostas pelo planejamento estratégico, adaptando à realidade local, envolvendo a comunidade de Gerenciamento de Projetos, e alcançando muito network e conteúdo de qualidade àqueles que, por vezes, não podem se deslocar aos eventos de maior porte. E, nesta época de pandemia, integraram-se às iniciativas on-line, contribuindo na organização de diversos eventos do PMIRS, sempre com participação cruzada das diversas regiões.

Nossos Branches

O Branch mais antigo do Brasil é o da Serra Gaúcha, que completou 10 anos em abril passado. Com sede na Universidade de Caxias do Sul, tem parceria para o MBA de GP nessa instituição, e também no Centro Universitário FSG. Tem historicamente organizado o maior Seminário de Gestão, Projetos e Liderança fora das capitais.

O segundo Branch a ser criado no RS foi o Extremo Sul, abrangendo Pelotas e Rio Grande, com sede no Pelotas Parque Tecnológico. A equipe participa do Conselho Superior Socioeconômico de Desenvolvimento e Inovação e, neste ano, busca também estruturar um MBA em parceria.

Depois, veio o Branch Norte, com sede em Passo Fundo, tem parceria com a UPF e diversas iniciativas com os voluntários, incluindo projetos sociais, participação no GTISul e no Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Está em andamento o projeto de dois novos núcleos: o Núcleo do Vale do Taquari, com sede em Lajeado, e o Núcleo Centro RS, com sede em Santa Maria. Novos voluntários dessas regiões estão sendo convidados a se juntar a nós nessa estruturação para, em breve, termos dois novos Branches no RS.

Nesta terça-feira, 20 de julho, teremos uma edição especial do ‘Papo de Projeto’, evento gratuito que reúne profissionais entrantes na área em busca de conhecimentos sobre o Gerenciamento de Projetos. A iniciativa vai tratar do impacto dos Branches no trabalho do PMIRS. Interessados podem realizar inscrições por meio do link.

]]>
William Meller: integridade, propósito e comunicação, as riquezas de um grande líder Thu, 15 Jul 2021 15:22:52 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/592/?william-meller-integridade-proposito-e-comunicacao-as-riquezas-de-um-grande-lider.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/592/?william-meller-integridade-proposito-e-comunicacao-as-riquezas-de-um-grande-lider.html Para escolher a lista de homenageados do Future 50, o PMI buscou centenas de especialistas e partes interessadas em todo o mundo para as nomeações. Depois que o comitê avaliou os indicados, os finalistas foram individualmente pesquisados ​​e/ou entrevistados. Os homenageados selecionados foram escolhidos para representar todo o espectro de regiões, setores e realizações da Economia de Projetos. Uma das 50 lideranças do futuro é William Meller. Jovem, com apenas 25 anos, ele é gerente de Portfólio de TI na Dell.

William se tornou voluntário do PMIRS em 2015, após participar de um evento em que pôde conhecer um pouco sobre o Capítulo. Com a visão de que precisaria cercar-se de boas pessoas para alavancar a carreira, percebeu que, integrando a equipe, poderia conectar-se com profissionais experientes e ingressantes, algo que o levou a aprender muito. “O voluntariado construiu boa parte do que sou hoje, não apenas no serviço voluntário em si, ou naquilo que eu me envolvi enquanto voluntário, mas principalmente nas pessoas que conheci e deixaram um pouco de si como aprendizado e ensinamento”, menciona.

Sentindo-se honrado por ter sido reconhecido entre tantos outros jovens que estão fazendo a diferença ao redor do mundo, William concedeu uma entrevista à equipe de Comunicação do PMIRS. Confira o resultado da conversa:

PMIRS - Qual foi o contexto que te levou a ser voluntário do PMI?

William - “Eu sempre tive um grande propósito envolvendo a construção de valor para novas gerações, ajudando jovens a perceberem que podem ser agentes de mudança e assumir papéis importantes de liderança. Neste contexto, tive a oportunidade de me engajar não só em iniciativas locais, mas também assumir um desafio global no PMI. O objetivo é disseminar para diferentes culturas do mundo a proposta de que outros jovens também devem participar da mudança.”

PMIRS - Qual o roteiro que o levou a ser reconhecido como uma das 50 lideranças do futuro? Se precisasse montar uma linha do tempo, quais seriam os pontos?

William - “Esta é uma pergunta que me faz refletir. Os reconhecimentos acabam vindo quando estamos ocupados em fazer mais. Eles são apenas combustíveis para não pararmos e nem diminuirmos o ritmo do que fazemos. Penso que ser considerado uma das 50 lideranças do futuro foi consequência de eu nunca desistir ou deixar de fazer algo por causa da minha idade. Nunca deixei que ela fosse uma barreira das iniciativas que tomei com relação a carreira e a vida. Utilizei todas as ferramentas disponíveis à minha volta para mostrar isso a outros jovens e ajudá-los a também quebrarem as barreiras ao redor deles. Hoje, olhando para trás, percebo que os jovens que seguiram o meu exemplo, se tornaram líderes em seus ambientes e contextos. Estes resultados me ajudam a fortalecer o meu propósito de não parar por aqui.”

PMIRS - Qual a responsabilidade que este reconhecimento traz?

William - “Acredito que o reconhecimento pode ajudar novas pessoas a buscarem entender um pouco da trajetória dos indicados. A maior responsabilidade que alguém pode ter é a de manter o comprometimento e o trabalho que a levou ao reconhecimento. É até um pouco simples, mas, na verdade, há sempre um dever inerente de, mesmo mudando de ambiente, nunca esquecer os propósitos e as bases que nos fazem ir em frente. A grande responsabilidade sempre vai ser essa: a de manter o comprometimento com meus propósitos.”

PMIRS - O que é liderança para você?

William - “Vou tentar simplificar. Acredito que liderança seja a capacidade de, mesmo silenciosamente, influenciar pessoas a usarem seus talentos e sua energia nas coisas certas. Além disso, ajudá-las a remover as travas que, realmente, as atrapalham, deixando os impedimentos que podem ser importantes para o crescimento pessoal  e profissional.“

PMIRS: Quais as skills e as características de um grande líder?

William - “Vou citar três grandes fortalezas que acredito formarem a base. A primeira delas é a integridade, já que não posso ser influenciado por alguém que não seja capaz de tomar decisões com bases éticas. A segunda é o senso de propósito, já que líderes que não são capazes de entender o porquê fazem o que fazem e, pior ainda, não são capazes de transmitir esse porquê com clareza, acabam confundindo o foco de quem eles lideram. E a terceira é a comunicação, que pode facilmente ser a característica mais importante de um líder para o século XXI, já que pessoas que não são capazes de se comunicar com todas as gerações, com clareza e simplicidade, terão uma enorme dificuldade em mover pessoas e times para uma mesma direção.”

PMIRS -  Quais dicas você daria para os ingressantes em Gerenciamento de Projetos?

William - “A grande dica é jamais se limitar a uma visão, a um método, a um campo de conhecimento ou a apegar-se a uma solução única para todo tipo de problema. Sempre questiono o que leio e o que escuto, com o objetivo de ir além do básico e entender o porquê cada pequena coisa funciona de determinada forma. Ingressantes em Gerenciamento de Projetos, precisam ser curiosos para aprender o que já está posto e criativos para saber utilizar tudo isso em conjunto. Parece clichê, mas clichês são muito bons: um bom profissional nunca para de equipar a sua caixa de ferramentas com novas soluções e conhecimentos.”

Conheça mais e acompanhe os próximos passos de William por meio do site e do LinkedIn.

]]>
25 milhões de novos GPs serão necessários até 2030 Thu, 01 Jul 2021 12:16:48 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/591/?25-milhoes-de-novos-gps-serao-necessarios-ate-2030.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/591/?25-milhoes-de-novos-gps-serao-necessarios-ate-2030.html Projetos bem-sucedidos requerem profissionais capacitados. Mais do que um entendimento coletivo, a afirmativa foi confirmada na pesquisa ‘Talent Gap: Ten-Year Employment Trends, Costs, and Global Implications’. O estudo, que examina a demanda por profissionais e a necessidade das organizações, demonstra que 25 milhões de novos Gerentes de Projetos precisam entrar no mercado de trabalho até 2030. Para preencher as oportunidades, 2,3 milhões de pessoas devem entrar em campo a cada ano. Os resultados apontam, também, que o crescimento mais rápido será no setor de Desenvolvimento de Software.

Os resultados obtidos pelo estudo levantam também os motivos para tantas vagas em aberto. Ocorre que, mundialmente, a demanda por profissionais habilitados para trabalhar com Gerenciamento de Projetos é persistente. Tanto é fato que, todos os profissionais com talento para liderar já são cotados para ocupar os cargos disponíveis. As razões mais robustas para que haja lacunas são: o aumento do número de empregos que exigem habilidades voltadas para Gerenciamento de Projetos; o aumento da demanda por profissionais de projetos em países emergentes e em desenvolvimento devido ao crescimento econômico; e a taxa de aposentadoria.

Para entender o crescimento da profissão, os levantamentos do ‘Talent Gap: Ten-Year Employment Trends, Costs, and Global Implications’ foram regionalizados.  Os dados foram modelados de países selecionados, levando em consideração dados de outros países nestas regiões: Ásia-Pacífico (Indonésia, Japão), China (China continental), Europa (Alemanha, Reino Unido), América Latina (Brasil, Colômbia) , Região MENA (Egito, Arábia Saudita), América do Norte (Canadá, Estados Unidos), África Subsaariana (África do Sul, Nigéria) e Sul da Ásia (Índia).

Confira os resultados do  ‘Talent Gap: Ten-Year Employment Trends, Costs, and Global Implications’ no link. O arquivo completo possui 16 páginas, é disponibilizado em PDF e está disponível apenas em inglês.

]]>
Kickoff: a solução perfeita para tocar projetos Tue, 29 Jun 2021 13:58:35 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/590/?kickoff-a-solucao-perfeita-para-tocar-projetos.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/590/?kickoff-a-solucao-perfeita-para-tocar-projetos.html Um curso de 45 minutos e um kit com ferramentas que auxiliam desde a constituição de um projeto até a sua execução. Isso é o Kickoff, uma solução ideal para quem está ingressando em Gerenciamento de Projetos. A formação, além de muito rápida, traz também uma gama de modelos adaptáveis, um glossário com principais termos e perguntas importantes a serem feitas para ajudar qualquer pessoa a iniciar algum projeto a qualquer momento. Além dos benefícios entregues ao público, o produto é gratuito, tem versão em português e é acessível para todos.

Para Carlos Rubinstein, filiado do PMIRS, a capacitação também é descontraída e soma ainda mais pontos por disponibilizar cases e conceitos que servem tanto para o ágil quanto para o tradicional. Isso, conforme analisa, capacita os GPs mais novos e provoca reflexões nos mais experientes. “Uma ferramenta muito útil que a comunidade pode acessar para praticar e ampliar conhecimento”, complementa.

Além do aprendizado individualizado, o Kickoff é um recurso que pode ser implantado facilmente nas organizações. A vantagem é que todos os integrantes da equipe desenvolvam habilidades de tocar os projetos dos setores onde atuam.  Além disso, após finalizarem a capacitação, os alunos recebem um emblema que podem compartilhar em seus perfis no LinkedIn, com vistas a mostrar que possuem o conhecimento necessário para liderar projetos.

Deseja aprender rapidamente os fundamentos do Gerenciamento de Projetos para concluir seus projetos de forma estratégica, dentro do prazo e de acordo com o orçamento? Então, o Kickoff é ainda mais perfeito para você. Saiba mais em:https://pt.perfectkickoff.com.

]]>
CAPM: alavanque sua carreira reconhecendo seu talento Mon, 28 Jun 2021 12:15:22 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/589/?capm-alavanque-sua-carreira-reconhecendo-seu-talento.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/589/?capm-alavanque-sua-carreira-reconhecendo-seu-talento.html O Gerenciamento de Projetos está crescendo a cada dia e a demanda por profissionais qualificados também está em alta. A ‘Certified Associate in Project Management’ (CAPM) é uma excelente alternativa para pessoas que desejam alavancar a carreira e queiram se destacar no mercado. Isso porque, a certificação revela o interesse dos profissionais em obterem conhecimentos em processos e terminologias ligadas a GP.

CAPM para quem? 

  • Profissionais de diversas áreas que buscam conhecimento e precisam se comunicar de forma assertiva com equipes de projetos;
  • Profissionais que estão transacionando a carreira para o Gerenciamento de Projetos;
  • Profissionais que atuam diretamente com GPs ou equipes, mas não têm a intenção de ser um gerente de Projetos.
  • Jovens profissionais 

Mariana Cansian Jaroseski é certificada desde 2019. A profissional tem 14 anos de experiência em Customer Services - setor empresarial que fornece suporte técnico, esclarece dúvidas e acolhe reclamações. Atuando como gerente de Projetos na área, é responsável por projetos de grandes contas na América Latina. Formada em Administração de Empresas, Mariana revela que a certificação comprovou o talento que ela já estava aprimorando em atividades que desenvolvia anteriormente. “Hoje, estou 100% feliz com o que faço e não pretendo deixar a função”, comemora. 

Mariana é uma das convidadas da nova edição do ‘PMI in Portuñol: Conheça como a certificação CAPM pode impulsionar sua carreira’. O evento será realizado em 29 de junho e as inscrições podem ser realizadas no site. A sessão em português iniciará às 19h30.

]]>
Os 8 passos do Planejamento Estratégico Fri, 25 Jun 2021 11:56:27 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/588/?os-8-passos-do-planejamento-estrategico.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/588/?os-8-passos-do-planejamento-estrategico.html Até chegar o momento de apresentar o Planejamento Estratégico (PE) para a nossa comunidade, são necessários alguns meses. Parece muito tempo para quem aguarda, mas a equipe que está nos bastidores trabalhando intensamente percebe o tempo correndo como o ex-velocista olímpico Usain Bolt. Por conta disso, chegar no momento da entrega traz um sentimento de dever quase cumprido. Mas por que "quase"? Porque o planejamento requer execução, e ainda temos até o fim do ano para pôr tudo em prática. Você aceita ser cúmplice desse desafio?

Então que tal entender melhor as etapas para a constituição do Planejamento Estratégico do PMIRS? Nada mais justo do que ser transparente com você, se precisamos da sua confiança para atingir os objetivos, não é mesmo?  Sendo assim, vamos começar:

Passo 1

Criação do Grupo de PE: sem equipe, não tem como planejar. Por isso, o primeiro passo foi reunir um grupo de especialistas voluntários para estruturar o processo de Planejamento Estratégico. Alguns rascunhos iniciais e importantes insights foram a inspiração naquele momento. O mapa da estratégia foi criado.

Passo 2

Definição do Processo: buscamos em nossa base o que já havia sido construído em gestões anteriores. Posicionamento, valores, necessidades do público, ações de engajamento, geração e entrega de valor para uma comunidade mais regionalizada, foram pontos que entraram nas discussões do grupo de trabalho. Além disso, construir um cenário ideal para o PMIRS e, a partir disso, delimitar os desafios estratégicos nos deu condições para direcionar os próximos passos. Assim, o processo do Planejamento Estratégico foi definido.

Passo 3

Seminário Estratégico I: engajar o time é muito importante para que a estratégia não morra na gaveta, mas sim seja comunicada e implementada. Por meio de um evento destinado a mais de 50 lideranças internas, procuramos incluir todos os voluntários para apresentar e validar a estratégia, mostrando todo o processo e os passos necessários para o desdobramento das iniciativas. Apresentar o motivo de algumas escolhas e dar transparência ao processo é fundamental para ganhar aderência nas ações e obter apoio total dos times. Foi um excelente momento para reforçar o nosso propósito de conectar e empoderar pessoas para transformar ideias em realidade. Essa é a visão clara de onde queremos chegar e o motivo pelo qual vamos dispor da energia necessária para enfrentar a trajetória, que certamente não será fácil.

Passo 4

Submissão das iniciativas: oportunizamos aos nossos voluntários a chance de concretizar grandes ideias por meio de ações diversas sugeridas por eles. Foram submetidas mais de 50 propostas de projetos, estruturadas por meio de um PM Canvas - Project Model de forma a responder ao processo de Planejamento Estratégico. A saber, todas as diretorias e seus times de projetos têm um papel fundamental no desdobramento de metas. São eles que criam e executam projetos. É a partir disso que o Capítulo seleciona iniciativas que têm mais aderência à visão que foi construída.

Passo 5

Seleção, Priorização e Aprovação: 15 iniciativas, entre projetos e programas, foram pré-selecionadas para iniciar a sua execução, e várias delas contam com recursos de investimentos do PMIRS. Concentramos nossos esforços para atender a estratégia que foi construída. Para chegarmos ao resultado esperado, precisaremos vencer algumas barreiras internas. Por isso, foram selecionadas iniciativas que atendem fortemente as temáticas, às quais chamamos de "desafios estratégicos''. Transversalidade das ações, inovação, produtividade, posicionamento, crescimento e comunicação estratégica são atributos que influenciarão fortemente nosso percurso neste caminho.

Passo 6

Seminário Estratégico II: novamente, nosso esforço visou a engajar todos os times e comunicar as iniciativas pré-aprovadas para que pudessem ser aprovadas e executadas. A partir deste encontro, as ideias começam a se tornar realidade. Mais do que nunca, dar transparência ao processo se mostrou uma ação eficiente e muito bem-vista pelos voluntários.

Passo 7

Submissão dos Termos de Abertura: Com base nas devolutiva feitas pela Diretoria Executiva e pelo PMO nos Canvas dos projetos, as equipes estruturaram e enviaram o TAP (Termo de Abertura do Projeto) para cada iniciativa pré-aprovada. O objetivo é criar uma boa referência documental, simples, ágil no preenchimento, porém eficaz. São métodos conhecidos no Gerenciamento de Projetos e que ajudam a Governança na gestão do portfólio de projetos.

Passo 8

Aprovação do Portfolio de Projetos 2021:  com todos os Termos de Abertura em mãos e com os escopos de projetos mais claros e melhor estruturados, foram aprovadas, oficialmente, 15 iniciativas no PMIRS, na primeira onda de aprovação. Ou seja, sua execução e orçamentos foram autorizados. Deste ponto em diante, a equipe de Governança inicia o monitoramento dos projetos e programas em execução por meio de um sistema de governança interno. Desta vez, estamos pensando em movimentos de atualização de portfólio em uma frequência maior do que trimestral, como tem sido nos últimos anos. O desafio é lidar com um orçamento anual já aprovado para estas iniciativas, tentando acomodar as mudanças naturais do portfólio de projetos.

Se este passo a passo foi interessante para você, sugerimos que continue desbravando as iniciativas do nosso Capítulo, além de conhecer os resultados obtidos com o nosso Planejamento Estratégico por meio de um infográfico que já está disponível aqui no nosso site.

]]>
A idade não tem nada a ver, o negócio é ser GP Thu, 17 Jun 2021 15:56:18 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/584/?a-idade-nao-tem-nada-a-ver-o-negocio-e-ser-gp.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/584/?a-idade-nao-tem-nada-a-ver-o-negocio-e-ser-gp.html Que tal desmistificar o papo de idade? Outro dia, abordamos experiência em um texto sobre voluntariado - se você ainda não leu, clica no link. Agora, a pauta é: existe um momento certo da vida para se tornar gerente de Projetos? Já adiantamos que os requisitos para entrar são: o interesse e estar vivo. Brincadeiras à parte, tivemos um bate-papo com o presidente do PMIRS, Alex Rosa, e ele foi bem sincero com suas percepções sobre o tema. Confira:

Comunicação - A idade faz diferença na hora de selecionar um gerente de Projeto?

Alex -   Em geral não faz não. O que importa é a experiência em Gerenciamento de Projetos e não a idade. Existem projetos que requerem anos de experiência profissional naquela área, por se tratar de grandes complexidades. Mas, em casos como este, é mais por uma experiência técnica relacionada ao tema do que propriamente a habilidade técnica de Gerenciamento de Projetos. De qualquer forma, na minha visão, tudo está relacionado a tempo de experiência e não idade.

Comunicação - Qual o benefício de contratar um profissional mais jovem?

Alex - Profissionais mais jovens, geralmente, estão mais abertos a novas experiências na forma de conduzir o trabalho. Além disso, eles podem trazer questionamentos observados por um prisma diferente dos demais profissionais, pois trazem à tona suas experiências pessoais e comportamentos contemporâneos que são característicos da idade. Mas isso não é uma regra.

Comunicação - Qual o benefício de contratar um profissional com mais idade e experiência?

Alex - Por ter domínio na área, a curva de aprendizado é muito menor. Com isso, profissionais seniores trazem mais rapidamente à organização os benefícios esperados de seu trabalho. Além disso, podem ser mais assertivos na hora de escolher ferramentas para solucionar problemas mais complexos.

Comunicação - É bom para as organizações a diversidade etária na equipe de Projetos?

Alex - Considero positivo o fato de ter diversidade etária na equipe. Poder somar experiências contemporâneas e novas formas de trabalho com ferramentas e soluções mais assertivas é uma grande oportunidade de formar um time de alta performance. Além disso, é fato que todos aprendem uns com os outros. O desenvolvimento profissional fica mais evidente e é um fator motivador para a equipe.

Comunicação - No que o GP mais jovem pode contribuir com o de mais idade? E vice-versa?

Alex - Se ambos estiverem momentaneamente trabalhando na mesma equipe, geralmente o GP mais jovem se encarrega de produzir os materiais necessários ao projeto. Então, pode ser que o mais jovem fique com a criação dos documentos necessários e ferramentas de controle - que são extremamente necessários ao projeto - e o mais experiente se encarregue de validar ou sugerir melhorias, além de conduzir a equipe como um todo. Para o jovem, poder estar ao lado de um gerente de Projetos mais experiente é um grande aprendizado, principalmente, na questão de desenvolvimento de liderança. Para o mais sênior, faz bastante diferença ter alguém na equipe bem-preparado e que domine as ferramentas e modelos à disposição do projeto, pois ele pode focar esforços no direcionamento do projeto como um todo a partir dos dois grandes pilares: Comunicação e Liderança.

Comunicação - Existe um estilo de trabalho diferente entre as idades?

Alex - O fator diferença aqui não é em relação à idade. Considero três fatores que demonstram a diversificação de forma de trabalho: a escola de GP que a pessoa foi formada, a experiência em liderança de projetos e as características pessoais de cada um. A idade não me parece influenciar no estilo quando se fala em Gerenciamento de Projetos, mas sim estes três destaques.

]]>
PMIRS e PMI Montevideo se unem na promoção de webinários Fri, 18 Jun 2021 15:41:11 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/585/?pmirs-e-pmi-montevideo-se-unem-na-promocao-de-webinarios.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/585/?pmirs-e-pmi-montevideo-se-unem-na-promocao-de-webinarios.html Com a proposta de oferecer ao público dois webinários sobre Gestão de Projetos no contexto da Saúde Pública no enfrentamento da pandemia, o PMIRS e PMI Montevideo firmaram parceria. A iniciativa é inédita no capítulo gaúcho. O primeiro evento está marcado para a próxima terça-feira, 22 de junho, às 18h30. Com transmissão ao vivo, direto de Montevideo, no Uruguai, o webinar conta com inscrições gratuitas e vagas limitadas. Interessados em participar do evento, que será transmitido em espanhol e mediado pelo voluntário brasileiro Carlo Turk, devem se inscrever no site da iniciativa.

Intitulado "Teoria da Restrição: aplicação ao plano de vacinação contra o covid-19", o evento tem como convidado, Raul Bianchi, gerente de projetos do ‘Plano de Vacinação Covid do Uruguai’. Bianchi, que possui certificação PMP e é especialista na Teoria da Restrição, abordará o cumprimento das metas quanto a vacinar a população. A pauta é imperdível porque o objetivo do Uruguai era vacinar, com as duas doses, 70% da população, em cinco meses. Ocorre que o País pôs o plano em prática e obteve o resultado esperado em apenas 35 dias. 

Conforme Rodrigo Paines, VP de Desenvolvimento Profissional do PMIRS, a parceria trata de ações de enfrentamento ao COVID-19 e como a organização de projetos pode ajudá-los em situações de extrema urgência. “O propósito é compartilhar como os projetos são gerenciados na nossa América Latina, apresentando cases de sucesso, que utilizaram técnicas de GP como Teoria das restrições, para tratar de um projeto complexo, como aconteceu em Montevideo. Realizando parcerias, o acesso ao conhecimento só aumenta”, comemora.

O segundo webinar está marcado para 24 de agosto, às 19h.  O convidado é o diretor geral de Regulação da Secretaria de Saúde de Porto Alegre, Jorge Osório. Em breve, as inscrições para a palestra “Ações e estratégias de regulação e monitoramento de internações por covid na rede hospitalar de Porto Alegre", estarão disponíveis. 

Saiba mais sobre a "Teoria da Restrição: aplicação ao plano de vacinação contra o covid-19" na página da iniciativa.

]]>
Gerentes de Projetos fazem a diferença Mon, 14 Jun 2021 15:38:58 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/583/?gerentes-de-projetos-fazem-a-diferenca.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/583/?gerentes-de-projetos-fazem-a-diferenca.html De acordo com a pesquisa Pulse of the Profession de 2020, do PMI global, as organizações que não incluem o Gerenciamento de Projetos (GP) como uma competência estratégica tendem a não obter sucesso em pelo menos 67% das iniciativas. Para impulsionar a mudança e o crescimento das empresas, é preciso priorizar os profissionais da área. A contratação de um gerente de Projeto pode dar às equipes executivas espaço para se concentrarem na construção dos negócios, enquanto o GP tem a responsabilidade de garantir que nada passe despercebido.

O foco do gerente de Projetos é assegurar o cumprimento da tarefa e atuar na resolução de eventuais problemas. Este profissional define papéis, atribui tarefas, acompanha e documenta o andamento da sua equipe por meio  de ferramentas e técnicas apuradas, administra investimentos e integra as pessoas para trabalharem juntas por um só objetivo. Também é função deste profissional monitorar possíveis riscos e estar sempre preparado para mudar de estratégia rapidamente, se necessário.

O perfil profissional do GP

Um gerente de Projetos deve ter organização, agilidade na tomada de decisões e visão para calcular riscos. Deve inspirar sua equipe, saber planejar o passo a passo, ser flexível para mudar de estratégia e rápido para organizá-la. Os GPs sabem como gerenciar pessoas e incentivá-las a usar o que têm de melhor em nome do projeto. Então, os gerentes de Projetos:

  • Exercem a liderança;
  • Se comunicam muito bem;
  • Estão em constante aprendizagem;
  • São negociadores;
  • Sabem avaliar riscos;
  • Focam nos resultados.

 Agora, que já sabe a diferença que os gerentes de Projetos podem fazer nas organizações, fique ligado no site, porque em breve traremos um conteúdo especial sobre as personalidades dos GPs. Será que você se encaixa? 

]]>
Papéis na Gestão Ágil é o tema do ProjLive Mon, 14 Jun 2021 12:24:17 -0300 https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/582/?papeis-na-gestao-agil-e-o-tema-do-projlive.html https://pmirs.org.br/noticia/visualizar/id/582/?papeis-na-gestao-agil-e-o-tema-do-projlive.html Especialista em Planejamento Estratégico de Negócios (Business Agility), Agilidade, Gerenciamento de Projetos, Gestão de Pessoas, Liderança, Transformação - Cultural, Digital e Ágil. Este é parte do currículo incrível de Carla Krieger, convidada para a live ‘Papéis na Gestão Ágil!’. O evento acontece nesta terça-feira, 15, das 19h30 às 20h30, lá no Instagram do PMIRS.

Para te dar uma provinha do tema, conversamos com Carla. Ela, que é Enterprise Agile Coach no Digital Hub da Globo, entende que ser um profissional ágil significa, acima de tudo, ser um agente de transformação. “Muito mais que ser ágil, deve fazer ágil”, salienta.

Conforme observa, o perfil é complementado por habilidades e ferramentas para atuar em múltiplos contextos. “O foco deve estar sempre no valor agregado de cada ação. Também é imprescindível uma preocupação genuína com as pessoas, o que resulta em cocriação por meio da colaboração”, sinaliza.

Carla aponta para uma realidade onde as organizações definem a Jornada Ágil e buscam profissionais que se encaixam no contexto. “O Disciplined Agile traz a seguinte configuração como time primário: Team Lead, Product Owner, Architecture Owner, Team Member e Stakeholder”, enumera. Vamos explicar algumas das funções, mas para se aprofundar é preciso assistir a live.

Team Lead - A principal responsabilidade do team leader é reportar-se ao gestor do Projeto. Ou seja, é função dele comunicar resultados, efetuar tratativas para eventuais falhas, problemas ou acontecimentos atípicos que ocorram durante o desenvolvimento do projeto. Ele deve trabalhar junto ao time, sanar as dificuldades dentro do que for possível e procurar sempre resolver todas as questões dos outros membros, antes de reportar ao superior direto.

Product Owner - O product owner - dono do produto - direciona o projeto de acordo com a necessidade do cliente e das demais partes interessadas. Ele é a única pessoa responsável por definir o produto, incrementado-o de acordo com o andamento do projeto.

Architecture Owner - O architecture owner define a estrutura, a organização e a forma de manutenção do software, atuando junto ao agile team em uma abordagem colaborativa e incremental. Isso significa que ele não toma as decisões sozinho. Ele planeja os passos e compartilha com o time para receber feedbacks e alinhar os requisitos às necessidades do cliente.

Para saber mais sobre estas funções e entender as demais, participe da live ‘Papéis na Gestão Ágil!’. Estamos te aguardando com muito conteúdo!

]]>