O evento reuniu uma programação variada, formada por cursos, workshops, palestras, cases e mesas de debates entre 22 e 25 de junho na Universidade de Caxias do Sul. Organizado pelo grupo de voluntários do Branch Serra Gaúcha do PMIRS, a iniciativa teve como tema central "Um Caminho para a Virada: Transformando Estratégias em Resultados". Uma das novidades foi a apresentação da TAKT PM, uma metodologia ágil desenvolvida há três anos pelo professor José Finocchio Júnior, inspirada no Lean Management. Além de workshop realizado nos dias 23 e 24 de junho, a inovação foi detalhada na palestra de abertura do último dia do evento, sábado, 25. 

Finocchio Júnior definiu a metodologia como híbrida, um "tema hermético" e com diversas características que descomplicam sua implantação em uma corporação. Diferentemente do que se fala em relação a metodologias ágeis, a primeira característica que chama a atenção é que não é preciso mudar a cultura da organização para trabalhar com a TAKT PM. Também não é preciso trabalhar com times dedicados, e sim, é possível estar organizado em redes complexas e diferentes. Outro princípio no qual ela é inspirada é a teoria das restrições, para a qual é fundamental encontrar o gargalo par melhor direcionar um projeto. Segundo Finocchio, por meio do kanban, que também é usado no TAKT PM, é possível encontrar esses gargalos. Outra distinção importante da metodologia é o trabalho puxado originado do Lean que, na prática, significa que uma atividade só começa quando termina outra.

Durante sua palestra, o especialista falou sobre os três grandes passos da metodologia.

O primeiro, diferente de tudo o que se faz, é não modelar o projeto como um gráfico gigante, mas na forma de processo. "A forma de modelar num gráfico gigante não tem padrão e cada um pode mapear de um jeito", justificou. É essa escolha por processo que permite padronizar a forma de gerenciar os projetos, não havendo muita variação. Esse modelo é usado para formatar diversos artefatos. O segundo passo é atualizar o projeto de uma maneira menos burocrática de pedir o report, o que chamou de "tum tah", que é uma maneira simples de reportar progresso, é um report em um momento especial, um evento. Ele dá muita informação, desde que seja atualizado. O terceiro passo é que o novo sistema de gestão vai para o que chama de trabalho de peão, distribuindo poderes e responsabilidades para todos os envolvidos.

De forma resumida, a metodologia TAKT PM é formada pelas etapas de Processo (alinhar modelo mental, construir o handoff do diagrama do projeto, associar pacotes de processo ao catálogo de serviço e transferir para um modelo automatizado), Status e Gestão, que se dá em nível do PMO, do gerente do projeto e do peão.

 

27 de junho de 2016