Pela primeira vez desde a criação do PMDay, o PMIRS focou no tema gerenciamento de projetos no setor público. Nesta edição do evento, que aconteceu na tarde de 24/08, em Porto Alegre, mais de 200 pessoas ouviram especialistas em áreas afins, como o diretor do grupo PM21, Sérgio Marangoni, e o Diretor Executivo da Agenda 2020, Ronald Krummenauer, cases de sucesso, como o da Prefeitura de Porto Alegre, além de conhecer, em primeira mão, o estudo realizado por um grupo de voluntários do capítulo, membros do Conselho Consultivo, que apontou práticas mínimas sugeridas para projetos realizados no setor público.

O ex-Presidente e atual VP de Marketing e Relações Institucionais do PMIRS, Marco Kappel Ribeiro, foi o coordenador desse grupo e fez uma apresentação sobre o resultado do trabalho, entregue em formato de livreto à plateia do PMDay Setor Público, material que será disponibilizado em versão online em breve. Segundo Kappel, buscou-se ter um olhar mais estratégico e aplicável tanto para a esfera estadual como municipal. Uma das referências para o trabalho foi o Guia de Gerenciamento de Projetos Organizacional (OPM), editado pelo PMI, que deve ser considerado como elemento referencial no esforço de garantir o alinhamento de todos os projetos com os objetivos estratégicos do Estado. Da mesma forma, considerou-se a extensão do PMBOK voltada ao setor público, mas publicada há dez anos. Nessa versão, estão detalhadas questões específicas para essetipo de projeto, que devem receber atenção e distinguem projetos públicos de privados. Algumas delas são que os projetos públicos são financiados pelos cidadãos, têm que gerar benefícios para a sociedade, exigem prestação de contas para a comunidade e estão sujeitos a um maior número de restrições legais.

Diante dessas referências e do acompanhamento que o PMIRS vem fazendo de ações que demonstram esforço e aperfeiçoamento em diferentes esferas públicas, o capítulo propôs quatro itens básicos, ou pilares, que deveriam ser seguidos pela Administração Pública de forma a melhorar o atingimento dos resultados de projetos públicos no Rio Grande do Sul e seus Municípios. Nesse documento, resultado do trabalho e de discussões desse grupo de voluntários, foram citadas inúmeras atividades que deveriam estar associadas a cada um destes pilares, conforme mostrou o estudo realizado, e algumas foram elencadas a cada um desses quatro itens. Esses pilares são: (1) um Escritório de Gerenciamento de Projetos Estratégico (EGPE); (2) a consolidação de uma estrutura de Governança; (3) o desenvolvimento e a consolidação de uma metodologia de gerenciamento de projetos organizacional envolvendo todos os órgãos de governo e baseado nas práticas e padrões existentes; e (4) o desenvolvimento das competências de gerenciamento de projetos em todas as áreas da administração.

Para acessar o guia de práticas mínimas de gerenciamento de projetos no setor público clique aqui: http://bit.ly/setorpublico-pmirs

O assunto também será foco da próxima Revista Newsletter, produzida pelo PMIRS. A publicação também vai trazer a cobertura completa das palestras do PMDay Setor Público, além de entrevistas exclusivas.

25 de agosto de 2016