A criação de uma cultura de trabalho inclusiva e colaborativa estimula a inovação e adaptabilidade, beneficiando tanto funcionários quanto organizações. Falando dessa forma, não há quem não queira implantar uma cultura que beneficie a todos. Mas como construir uma cultura ágil, que é tão determinante para a eficácia de uma empresa? O Vice-presidente e Cientista Chefe do Disciplined Agile® do PMI®, Scott Ambler afirma que é algo muito mais trabalhoso do que incluir uma mesa de ping-pong no local de trabalho ou inserir qualquer outro adereço que deixe o ambiente um pouco mais inspirador ou criativo.


Enquanto pensadores discutem a definição do que seria cultura - “algo realizado repetidamente”, “o que você faz quando ninguém está olhando, ou ainda “comportamentos e tradições de um indivíduo ou comunidade” - podemos determinar o que seria uma mentalidade ágil disciplinada, que enfatiza a criação de ambientes eficazes que promovam a alegria no trabalho e a provocação para impulsionar a mudança de cultura sustentável, melhorando os sistemas de gerenciamento existentes.


Como seria, exatamente, uma cultura ágil?


  • Ela capacita as pessoas a colaborar e a assumir riscos de maneira inteligente. Espera que novos produtos e serviços exijam interação, em vez de perfeição no lançamento. Uma cultura que enfatiza “fazer certo da primeira vez” geralmente desencoraja a experiência e melhorias.
  • Ela se concentra em “puxar, não empurrar”, recompensando e incentivando comportamentos ágeis, em vez de reprimi-los.
  • Forçar um comportamento das pessoas pode ser um tiro no pé, pois elas podem resistir e até subverter a mudança que você está procurando. Mas, se eles sentirem uma sensação de propriedade compartilhada e adesão, eles estarão muito mais propensos a identificar maneiras de contribuir.
  • Ela se concentra no alinhamento estratégico e no valor em relação à entrega de projetos dentro do orçamento e no prazo.

Embora seja simples pontuar os principais aspectos de uma cultura ágil, pode ser extremamente desafiador para algumas organizações ou ambientes altamente regulamentados como o setor governamental, onde líderes são examinados de perto. Essas organizações enfrentam estruturas de incentivo muito diferentes das organizações que estão em ambientes mais competitivos que devem ser ágeis simplesmente para permanecer relevantes diante de concorrentes emergentes.


Uma pesquisa realizada recentemente pelo PMI® mostrou o impacto do ágil no governo dos Estados Unidos. Foi possível identificar certo progresso com iniciativas de inovação dentro do governo. Nosso relatório identifica a cultura organizacional como uma categoria crítica na avaliação da prontidão de uma organização para adotar princípios ágeis.


Então, como as organizações podem fazer o trabalho árduo de começar a construir culturas ágeis? Aqui estão algumas maneiras pelas quais as organizações podem considerar começar.

  • Reconheça que levará tempo.  A mudança cultural  nunca acontece da noite para o dia. Exige muita paciência, embora ainda associada à urgência e ao viés de ação inerente às abordagens ágeis. Manter o envolvimento dos funcionários (ou, para usar uma palavra mais apropriada, talento) ao longo desse longo horizonte de tempo pode ser aprimorado incentivando-os a encontrar motivação para aprender e dominar continuamente seu ofício.
  • Foco na melhoria dos sistemas.  A cultura, em última análise, é um reflexo dos sistemas de gestão em vigor; portanto, para mudar uma cultura, os sistemas gerais também devem ser evoluídos. Por exemplo, está cada vez mais em voga que os líderes tomem medidas públicas para enfrentar o desafio de solicitações ad hoc ininterruptas que chegam por e-mail e mensagens instantâneas. Alguns CEOs até pediram medidas como “sextas-feiras sem e-mail”; mas uma cultura que tomou forma em torno de expectativas de resposta rápida não pode mudar significativamente além de um nível individual, a menos que uma organização repense completamente sua abordagem de como as informações são compartilhadas e recuperadas.
  • Esforce-se para promover a alegria. Atrair grandes talentos e promover a inovação requer a construção de um ambiente que encoraje os talentos a ver o local de trabalho como algo que pode ser divertido e até alegre, não um lugar de trabalho árduo. Experimentos e trabalhos baseados em experimentos tendem a aumentar o sentimento de alegria que as equipes sentem.

Quais dicas você pretende seguir para começar a implantação de uma cultura ágil na sua empresa ou organização? 

Texto traduzido e adaptado do artigo do PMI®: Building an Agile Work Culture: Creating Inclusivity and Collaboration

Categorias: Carreira
Data de publicação: 14 de junho de 2022
Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com estas condições, e, com nossa Política de Privacidade. Consulte nossa Política de Privacidade.